bolt-e-jady-duarte-passaram-noite-junto-no-rio-de-janeiro-deurante-olimpiada-1472003715930_v2_900x506

“Não sabia que era Bolt” – Brasileira dá detalhes do Affair com o Homem Mais Veloz do mundo

“Affair olímpico” do jamaicano Usain Bolt, a estudante brasileira Jady Duarte, de 20 anos, revelou ao jornal britânico Daily Mail, nesta terça-feira (23), detalhes da noite que passou com o atleta dono de três medalhas de ouro na Rio-2016.

Adicione-nos no Google!

De acordo com ela, o encontro se deu em boate da Barra da Tijuca. Bolt, assim que chegou ao local, foi rodeado por fãs – a moça, no entanto, não o reconheceu. Passada a euforia, a estrela parou próximo ao grupo em que Jady estava e começou seu “processo galanteador”.

A despeito de ter uma namorada, o jamaicano levantou a blusa na pista de dança para mostrar seus músculos. Duarte não resistiu em tocar a barriga do campeão: “Aquilo é incrível”, disse à publicação. “Os músculos são duros como pedra. Eu estava tão atenta ao abdômen que, a princípio, nem notei que era Usain Bolt!”

A noite foi se encaminhando para o final sem mais contatos entre ambos, até que Bolt mandou um de seus seguranças convidar Jady para uma “visita à Vila Olímpica”. Ela afirma: de começo recusou para “fazer jogo duro”. “Quis fazê-lo trabalhar”, brincou.

O segurança, pouco depois, na fila de pagamento do caixa, mais uma vez a pedido de Usain, insistiu no pedido. E ela recusou de novo. Até que, na saída, Bolt finamente interagiu pessoalmente com a moça: os dois trocaram olhares e ele fez a “pose do raio”, típica em suas comemorações. Foi irresistível, confessa a garota. “Finalmente não tive dúvidas de que ele era ele”.

“Foi quando decidi que era hora de me entregar. Ele me puxou do táxi e me deu um beijo incrível”, conta.

Àquela hora a Vila dos Atletas estava fechada para não competidores, restrição que começava às 21h. O casal, sem muita dificuldade, em um ônibus oficial, burlou a segurança. “Não me pediram nenhum passe ou identificação. E nem o questionaram, porque era o Bolt”, disse.

Bolt e Jady se ajeitaram em uma cama de solteiro do quarto do atleta na Vila. “Seus pés ficavam para fora da cama, de tão pequena que era”, lembrou. Eles trocaram algumas palavras, e de forma curiosa: Duarte não fala inglês e tampouco o jamaicano domina o português. A saída, então, foi usar um tradutor na internet.

Papo vai, papo vem e Bolt colocou para tocar a música “Work”, da cantora Rihanna. “Eu não precisava de tradutor para saber que ele queria transar comigo”, contou ao jornal britânico. “Acho que ele gosta de transar ouvindo esse som”.

“Tudo foi muito quente e cheio de paixão. Nós ‘devoramos’ um ao outro. Ele tem um corpo de campeão, mas suas ‘partes de homem’ são como as de um homem normal. Esperava que fosse rápido, mas na verdade foi o sexo mais longo que tive em toda a vida. Fizemos por cerca de 40 minutos, depois ele tomou um tempo e fizemos tudo de novo”.

E acrescentou: “Ele se recupera rápido, mas não tivemos um ‘terceiro tempo'”.

Matérias Relacionadas

1029 Views